terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Diversidade sexual


Estamos vivendo um momento de sexualidade a flor da pele, corpos nus, sarados,  blocos de carnaval de rua, homens fantasiados de mulheres, tudo parece muito natural, mas ainda assim ouvimos histórias de preconceito extremo, discriminação e homofobia.
Afinal como nos posicionamos? Qual a nossa compreensão da diversidade sexual?
Homofobia é um termo que se refere ao medo irracional e persistente ou incapacidade de reconhecer e aceitar as pessoas homossexuais. A homofobia pode  levar a uma discriminação direta, indireta ou assédio.
E a diversidade sexual significa que todos têm entendimentos diferentes sobre o que a sexualidade significa para si próprio.
A sexualidade pode significar que você se sente atraído por alguém do sexo oposto (heterosexual) do mesmo sexo (homosexual) ou de ambos os sexos (bissexuais) - não há certo, errado ou sexualidade "normal".

Quanta energia extra tantas  pessoas tem que gastar  diariamente  para provar quem são, para dissimular, para se protegerem...
Como terapeuta sexual,  conheço de perto a dor da homofobia e os efeitos devastadores do preconceito em relação à diversidade sexual.
A sexualidade é inerente ao ser humano, compreender a complexidade e a natureza multifacetada da sexualidade  é  parte da vida de todos, homens e mulheres independente de sua orientação sexual.
Exatamente por isso as diferenças de atração também fazem parte da compreensão do indivíduo como um todo, e deve ser respeitado indiscriminadamente.
Podemos ter a diversidade dentro da diversidade, sendo respeitosos uns com os outros. Ao mesmo tempo, podemos aprender muito mais sobre o que é ser humano através da compreensão da humanidade em toda a sua rica variedade. GLBTI é apenas uma sigla, independente dela cada pessoa tem seu nome, seu lugar, sua profissão... cabe a cada pessoa decidir por si mesmo, definir sua própria sexualidade e viver de bem com ela sem constrangimento, sem medo de ser feliz.

sábado, 8 de janeiro de 2011

Sexo e a criatividade

Nossas motivações criativas são baseadas em algumas das nossas paixões mais primárias, como alegria, medo, raiva, amor e luxúria.
Se expressam nas letras, na  música, na  moda, fotografia e em todas as formas de arte.
A criatividade convive com o impulso primordial que é a nossa sexualidade.
E se o seu desejo por sexo é fraco, isso significa que você é menos criativo do que outros?
Amor e sexo são bons para a criatividade e vice versa.
Sexo como qualquer ato criativo,  é uma elevação dos sentidos, uma corrida sem noção de tempo, um escurecimento do mundo exterior, um estado alterado de consciência no qual a criação é o inconsciente.
O desejo promove o pensamento criativo e permite que você viva sua sexualidade plenamente.
Sexo bom é aquele que  dissolve a noção do tempo, e toda a consciência de outras partes de sua vida.
Sexualidade feliz é aquela livre do peso do passado ou qualquer ansiedade sobre o futuro.

É como o ato de criar, se você não arrisca nada, arrisca- se mais ainda.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

O sexo e o Ano Novo

Tempo perfeito!  Não há melhor momento como a transição para o novo ano, para recuperar o seu prazer e seu potencial para o amor e sexo. É um momento poderoso para deixar o passado ir embora e assumir uma nova posição para o futuro.
Olhe para o seu último ano e os anos anteriores e decida quais de suas idéias ou atitudes sobre amor e sexo já não satisfazem às suas necessidades atuais.  
Se você ainda está apegado a idéias negativas ou inibições sobre sua intimidade, ou se você se sente acima do peso ou insatisfeita com seu corpo, preocupado com a idade...deixe esses padrões auto destrutivos se dissolverem antes que o mágico momento de inicio  de ano chegue.
Substitua algumas idéias, aprenda a usar palavras de elogio e auto-estima. Tudo tem dois lados, mas no amor e sexo a  visão positiva é sinônimo de evolução.
Feliz Ano novo, tim tim!!!

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Sexo e gravidez


Uma coisa é fato, uma das funções do sexo é a reprodução.
Apesar da tecnologia, inseminação artificial e fertilização in vitro, o período da gravidez ainda é imprescindível e ai, como fica a sexualidade neste período?
São nove meses de muitas mudanças, tanto físicas quanto hormonais e emocionais, como conseqüência, o desejo sexual de ambos pode flutuar durante esse período.
 A forma de lidar com as mudanças vai depender essencialmente da aceitação da gravidez e da intimidade emocional do casal.
A menos que o médico assistente aconselhe o contrário, o sexo durante a gravidez é seguro, além de manter o casal mais próximo, é também relaxante.
Algumas alterações físicas, como aumento dos seios e arredondamento dos quadris, dá formas mais femininas a mulher e isso pode ser muito estimulante para ambos.
A barriga que cresce, não deve ser razão para negligenciar a sexualidade. Uma boa transa depende sempre de duas pessoas que se desejam e querem sentir e dar prazer, isso independe de estar grávida ou não.
O aumento da barriga, o sono, as modificações em geral, podem solicitar mais criatividade ao casal, o que não significa abrir mão da alegria e da intimidade do sexo.
O casal grávido, deve considerar novas formas de explorar um ao outro, o que pode ser muito excitante e renovador para a  sexualidade de ambos.
Sexo é diversão, em todas as fases da vida!

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Sex Appeal

O apelo sexual é aquilo que nos faz virar a cabeça e olhar novamente para alguém, são atrativos que despertam a sexualidade.
A sexualidade é algo muito pessoal.
Algumas pessoas tem um apelo muito evidente, outras mais sutil, mas é imprescindível despertar o desejo e a fantasia no outro.
Pode ser um olhar, o sorriso, a forma de andar, de falar,  mas nada é mais atraente que  a presença, o charme e a segurança interior.
O bom humor é também estimulante, especialmente se aliado a uma certa malícia.
A beleza é sempre a beleza, mas a personalidade reflete o magnetismo sexual, por que demonstra  autoconfiança e atitude. Um pouco de imperfeição, também pode ser muito atraente.
Sex appeal, é a vibração sexual que enviamos ao outro e é construído a partir da confiança interior; É um imã, que  pode se expressar de todas as formas e tamanhos, todos os sabores e sotaques, só nos resta aproveitar!

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Sexo e o casal

Sexo quando é bom, pode transformar um encontro num relacionamento. Por outro lado, quando é ruim, pode acabar com um relacionamento.
Não há como negar, sexo é uma parte fundamental de nossas vidas.
Sexo traz satisfação, conforto e felicidade.
Os casais precisam ter a consciência, que com o passar do tempo as prioridades mudam e que é preciso mudar, para se adaptar ao novo modelo.
Tudo o que é tão intenso no inicio de um relacionamento, aos poucos vai se modificando.
A medida que o relacionamento fica melhor e mais seguro, a euforia dá lugar a ternura, com isso a excitação sexual inicial tende a diminuir.
É preciso evitar a acomodação para não acontecer a diminuição do desejo, pois, o sexo reafirma a ligação do casal.
Ambos,  tem o dever de manter a conexão sexual, para não reduzir os encontros sexuais aos finais de semana, ou noites de domingo.
Podem até mesmo abdicar as vezes de performances, mas a freqüência, essa sim, é a chave da sintonia sexual

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Rapidinhas

O corpo possui muitos caminhos e o sexo muitas velocidades.
Que tal variar com uma rapidinha?
Dessas que nem dá tempo de tirar toda a roupa? 
Jogar fora os scripts e não seguir roteiro, pode ser muito excitante para ambos.
Pensar em sexo em momentos e locais diferentes, desperta o desejo e pode proporcionar muito prazer. Sem rotina.
Mais importante que se despir das roupas, é se despir dos preconceitos, que só servem para restringir a sexualidade.
Surpreenda seu par com um beijo longo e profundo, desses que não permitem pensar em mais nada. Entregue-se, dedique-se ao prazer, não perca tempo!
Divirta-se, não há nada de errado com as rapidinhas, contanto, que não seja só o que voce faz.